Blog CMARP

CMARP amplia seu quadro de especialistas

nov 27

IMG_7602O uso da arbitragem nos negócios imobiliários ganha cada vez mais espaço, por fornecer às partes envolvidas segurança jurídica aliada à rapidez e efetividade na resolução do conflito..

Atenta à crescente demanda do segmento imobiliário, a CMARP, uma Câmara de Mediação, Conciliação e Arbitragem sediada em Ribeirão Preto/SP, especializada na solução de conflitos na área imobiliária e condominial passa a contar em seu quadro de especialistas, na qualidade de árbitro nos termos da Lei 9.307/96, o Dr. Luis Felipe Archangelo de Oliveira

A Arbitragem no Mercado Imobiliário

nov 27

Figura Imobiliário
A arbitragem é cada vez mais utilizada no mercado imobiliário, solucionando questões de forma mais ágil, fácil, segura, discreta e econômica com muito mais vantagens se comparado ao judiciário.

Problemas relacionados à locação de imóveis e outras questões envolvendo construtoras, prestadores de serviço, inadimplência e divergências criadas por maus pagadores são hoje amplamente resolvidos por outros meios disponíveis de solução de conflitos, dentre eles a mediação, a conciliação e a arbitragem.

A produção antecipada de prova viola o juízo arbitral?

nov 16
O novo Código de Processo Civil (“CPC/15”) alterou sensivelmente o sistema de produção antecipada de provas, dando nova roupagem ao instituto.
Na vigência do CPC/73 (arts. 846 a 851), a produção antecipada da prova tinha natureza eminentemente cautelar, estando, invariavelmente, atrelada ao “fundado receio” de que a prova se tornasse impossível ou de difícil verificação no futuro.[1] Era a hipótese, por exemplo, da testemunha idosa ou com moléstia grave ou, ainda, do prédio em ruínas, situações que justificavam a antecipação da produção da prova.
O CPC/15 ampliou as hipóteses da produção antecipada de prova, prestigiando, de certa forma, a autocomposição
enfam

Conselho Superior da Enfam ajusta regras da formação de mediadores judiciais

ago 08
Os membros do Conselho Superior da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam) se reuniram nesta segunda-feira (12), em Brasília, sob a direção da ministra Maria Thereza de Assis Moura. Entre os assuntos da pauta, a reunião tratou da alteração da Resolução Enfam 6/2016, que estabelece os procedimentos de reconhecimento de escolas ou instituições para a realização de cursos de formação de mediadores judiciais.
As alterações promovidas se basearam em sugestões do Fórum Nacional da Mediação e Conciliação (Fonamec), apresentadas ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ), e em consultas formuladas por escolas e instituições formadoras de mediadores judiciais
crescimento

O crescimento da arbitragem

ago 08
Considerado um dos métodos mais confiáveis de resolução extrajudicial de conflitos entre empresas de grande porte, a arbitragem continua batendo recordes no País. Só em 2016, os 249 casos levados às principais câmaras arbitrais envolveram R$ 24 bilhões. Em 2015, foram 222 disputas arbitrais, totalizando R$ 10,7 bilhões. Os dados são de uma pesquisa elaborada por Selma Lemes, professora da Fundação Getúlio Vargas. Como muitos litígios são sigilosos, uma vez que várias empresas receiam que a exposição nos jornais e na televisão prejudique suas imagens, o número de arbitragens pode ser ainda maior.
Para ter ideia desse ritmo de crescimento,
Desenvolvido por Adam Sistemas